Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Horta Biológica

Todo sobre o cultivo biológico em Portugal.

Qual é a variedade de framboesa mais doce?

24.02.22 | Яitual

Qual é a variedade de framboesa mais doce

Sabe qual é a variedade de framboesa mais doce? A framboesa vermelha (Rubus idaeus L.) tem origem no continente asiático e rapidamente a propagação desta planta se difundiu por toda a Europa.

Convém ter em conta que existem muitas espécies de framboesas e que elas se dividem em duas categorias. Remontantes e não-remontantes.

Remontante é o designativo da planta que floresce sem cessar durante toda a estação própria, ou cuja floração se repete várias vezes no ano. Para maximizar a produção são necessárias várias podas ao longo do ano.

Não-remontante é o contrário. A floração e produção só acontece uma vez e na estação própria. Em geral com colheitas mais abundantes.

Pode optar por plantar das duas variedades. Isso vai prolongar o prazer da sua degustação durante mais meses.

Variedades Remontantes

Fallgold (amarela), Poranna Rosa (amarela), Polka, Polana, Autumn Cygnet, Autumn Bliss, Heritage, Princess, Galant, Joan Squire, Ruby, Joan J, Summit.

Variedades Não remontantes

Golden Queen (amarela), Willamette, Tulameen, Malling Gaia, Glen Moy, Malling Julia, Meeker, Glen Clova, Malling Leo, Glen Rosa, Glen Magna, Glen Lyon, Glen Ample, Glen Prosen, Chilliwack, Puyallup.

Qual é a variedade de framboesa mais doce?

A variedade de framboesa mais doce é a framboesa amarela Fall Gold. 

Poda

A poda é uma operação cultural muito importante para a manutenção da produtividade das plantas e para a eliminação de varas doentes e/ou com pragas e de varas em excesso ou com pouco vigor. Também contribui para melhora a distribuição da luz solar e o arejamento.

Varia consoante se são variedades “não remontantes” ou “remontantes”.

No caso das variedades não remontantes, a poda principal deve ser realizada logo após o fim da colheita ou no fim do Inverno e devem ser eliminadas todas as varas que deram fruto, cortando-as mesmo junto ao solo.

De janeiro a princípios de março, todas as varas novas (varas do ano) com pouco vigor, partidas, doentes ou com sinais da presença de insetos devem ser eliminadas.

As variedades remontantes devem ser podadas logo a seguir ao fim da colheita, cortando-se todas as varas junto ao solo. Depois, na Primavera seguinte, surgirão novos lançamentos que frutificarão nesse mesmo ano.